sexta-feira, 26 de maio de 2017

Empresa ABB lança equipamento para aumentar eficiência energética

O inversor de frequência reduz desperdícios

A multinacional ABB, empresa de tecnologias de energia e automação, com uma planta em Sorocaba, lançou um inversor de frequência voltado para o segmento de águas e saneamento básico. O lançamento ocorreu na sede local da empresa, que fica no km 11 da rodovia José Ermírio de Moraes (Castelinho), e contou com a presença de clientes da área. Os convidados ainda tiveram a oportunidade de conhecer um case da companhia de prevenção nas perdas do sistema hídrico e fazer uma visita guiada na fábrica de drives de média e baixa tensão e painéis. Segundo o gerente geral da ABB, Marcelo Palavani, a apresentação do novo equipamento foi feito simultaneamente no Brasil e na Europa. Palavani afirma que o inversor de frequência utilizado em sistemas de saneamento básico, para tratamento de água, propicia um melhor controle do bombeamento da água, gerando uma eficiência energética de cerca de 40%.
Veja a matéria completa no Cruzeiro do Sul.

quinta-feira, 23 de março de 2017

Câmara aprova projeto que permite terceirização irrestrita

Texto permite a contratação de serviço terceirizado em qualquer tipo de atividade de uma empresa e amplia de 90 para até 180 dias o prazo para trabalhos temporários.


Os principais pontos do projeto são os seguintes:
A terceirização poderá ser aplicada a qualquer atividade da empresa. Por exemplo: uma escola poderá terceirizar faxineiros (atividade-meio) e professores (atividade-fim).
A empresa terceirizada será responsável por contratar, remunerar e dirigir os trabalhadores.
A empresa contratante deverá garantir segurança, higiene e salubridade dos trabalhadores terceirizados.
O tempo de duração do trabalho temporário passa de até três meses para até 180 dias, consecutivos ou não.
Após o término do contrato, o trabalhador temporário só poderá prestar novamente o mesmo tipo de serviço à empresa após esperar três meses.

Se a lei for sancionada por Temer, haverá permissão para terceirização de qualquer atividade.
Dessa forma, uma escola, por exemplo, poderá contratar de forma terceirizada tanto faxineiros e porteiros (atividades-meio) quanto professores (atividade-fim).
O projeto aprovado pela Câmara não prevê vínculo de emprego entre a empresa contratante dos serviços e os trabalhadores terceirizados. Mas o texto estabelece que a "empresa-mãe", que contrata a terceirizada, responda de forma subsidiária se o trabalhador não conseguir cobrar direitos devidos pela empresa que o contratou.
A empresa terceirizada será responsável por contratar, remunerar e dirigir seus trabalhadores, que prestarão serviços a terceiros. Será permitido ainda que a terceirizada subcontrate outras empresas.
A contratante, por sua vez, deverá garantir segurança, higiene e salubridade dos trabalhadores em suas dependências.
O projeto também ampliou o prazo de duração do contrato de trabalho temporário dos atuais três meses para seis meses, prorrogáveis por mais três meses.
Pelo texto aprovado, após o término do contrato, o trabalhador só poderá prestar novamente esse tipo de serviço à mesma empresa após esperar um prazo de três meses.

Atualmente, não há legislação específica para regular a terceirização. O entendimento da Justiça do Trabalho é que a prática só é possível em atividades secundárias das empresas, também chamadas de atividades-meio. Atualmente, não são terceirizados trabalhadores das atividades-fim (as atividades principais das empresas).

Enviada ao Congresso pelo governo Fernando Henrique Cardoso em 1998, a proposta já havia sido aprovada pela Câmara e, ao passar pelo Senado, sofreu alterações. De volta à Câmara, o texto aguardava desde 2002 pela análise final dos deputados.

Postagens mais visitadas